Estudante diz que estava a 70 km por hora em acidente que matou motociclista

02 de janeiro de 2015 - 19:00 | Última Hora

Maracaju em Foco - Notícias - Estudante diz que estava a 70 km por hora em acidente que matou motociclista

Hélio de Freitas de Dourados

O estudante de medicina Daniel Pagan da Cruz, 22 anos, se apresentou hoje no 2º Distrito Policial e confessou que era o condutor da caminhonete Toyota Hilux SW4, branca, placa OOI-0610, que atropelou e matou o motociclista Daniel Ceobaniuc Francisco, 23, na madrugada de ontem, em Dourados, a 233 km de Campo Grande.

O rapaz tinha saído de um culto evangélico para celebrar o Ano Novo e seguia pela Rua Coronel Ponciano quando foi atropelado ao cruzar a Avenida Marcelino Pires. Ele morreu no local.

Daniel da Cruz afirmou na delegacia que o semáforo estava verde para ele, que estava a 70 km por hora e negou que estivesse bêbado. Ele afirmou que não consome bebida alcoólica, mas disse que tinha acabado de sair de uma confraternização na casa de amigos e seguia para Fátima do Sul quando atropelou o ciclista.

Morador no Jardim Tropical, região nobre de Dourados, Daniel Pagan disse ao delegado Edmar Batistela que foi ele que chamou o Corpo de Bombeiros, afirmou ter ficado no local do acidente até a chegada do socorro e só depois foi embora com o pai, para quem também ligou, por medo da reação das pessoas.

Depois de ser ouvido, o estudante de medicina foi liberado e agora a polícia vai concluir as investigações para saber se ele será indiciado por homicídio culposo ou doloso.

Em maio deste ano, outro rapaz foi atropelado e morto próximo ao local do acidente de ontem, também na Avenida Marcelino Pires. Davi Rosa da Silva, 19 anos, seguia para o trabalho de bicicleta quando foi atropelado e teve o corpo arrastado por vários metros pela caminhonete F1000 do estudante Aluísio Both Neto, 19.

O estudante voltava da feira agropecuária da cidade e testemunhas denunciaram que ele estaria participando de um racha. Após o pedido de prisão preventiva, Aluísio se apresentou, também no 2º Distrito Policial, e negou que estivesse bêbado ou participando de racha.

Uma “Ghost Bike” (Bicicleta Fantasma) foi instalada por amigos e outros ciclistas da cidade em frente ao local onde Davi morreu. A bicicleta está no local até agora e constantemente recebe flores.

Fonte: Campo Grande News


Array ( [Novidade] => Array ( [id] => 29 [user_id] => 23 [titulo] => Estudante diz que estava a 70 km por hora em acidente que matou motociclista [texto] =>

Hélio de Freitas de Dourados

O estudante de medicina Daniel Pagan da Cruz, 22 anos, se apresentou hoje no 2º Distrito Policial e confessou que era o condutor da caminhonete Toyota Hilux SW4, branca, placa OOI-0610, que atropelou e matou o motociclista Daniel Ceobaniuc Francisco, 23, na madrugada de ontem, em Dourados, a 233 km de Campo Grande.

O rapaz tinha saído de um culto evangélico para celebrar o Ano Novo e seguia pela Rua Coronel Ponciano quando foi atropelado ao cruzar a Avenida Marcelino Pires. Ele morreu no local.

Daniel da Cruz afirmou na delegacia que o semáforo estava verde para ele, que estava a 70 km por hora e negou que estivesse bêbado. Ele afirmou que não consome bebida alcoólica, mas disse que tinha acabado de sair de uma confraternização na casa de amigos e seguia para Fátima do Sul quando atropelou o ciclista.

Morador no Jardim Tropical, região nobre de Dourados, Daniel Pagan disse ao delegado Edmar Batistela que foi ele que chamou o Corpo de Bombeiros, afirmou ter ficado no local do acidente até a chegada do socorro e só depois foi embora com o pai, para quem também ligou, por medo da reação das pessoas.

Depois de ser ouvido, o estudante de medicina foi liberado e agora a polícia vai concluir as investigações para saber se ele será indiciado por homicídio culposo ou doloso.

Em maio deste ano, outro rapaz foi atropelado e morto próximo ao local do acidente de ontem, também na Avenida Marcelino Pires. Davi Rosa da Silva, 19 anos, seguia para o trabalho de bicicleta quando foi atropelado e teve o corpo arrastado por vários metros pela caminhonete F1000 do estudante Aluísio Both Neto, 19.

O estudante voltava da feira agropecuária da cidade e testemunhas denunciaram que ele estaria participando de um racha. Após o pedido de prisão preventiva, Aluísio se apresentou, também no 2º Distrito Policial, e negou que estivesse bêbado ou participando de racha.

Uma “Ghost Bike” (Bicicleta Fantasma) foi instalada por amigos e outros ciclistas da cidade em frente ao local onde Davi morreu. A bicicleta está no local até agora e constantemente recebe flores.

Fonte: Campo Grande News

[imagem] => Maracaju-em-foco612174156dea453345baff585a080e17.jpg [url] => estudante-diz-que-estava-a-70-km-por-hora-em-acidente-que-matou-motociclista [visualizacoes] => 84 [created] => 02 de janeiro de 2015 - 19:00 [destaque] => [scroll] => [categoria_id] => 12 ) [User] => Array ( [id] => 23 [fullname] => Ben Hur Salomão Teixeira [active] => 1 [role] => adm ) [Categoria] => Array ( [id] => 12 [nome] => Última Hora [url] => ultima-hora [prioridade] => 1 ) [Noticiagaleria] => Array ( ) [Video] => Array ( ) ) 1
Maracaju em Foco - Notícias - Anúncio Maracaju em Foco - Notícias - Anúncio