Maracaju em Foco - Notícias - Anúncio
Maracaju em Foco - Notícias - Anúncio

Aumento de preços da carne e materiais de construção assustam consumidores de Maracaju.

25 de September de 2020 - 09:10 | Economia

Maracaju em Foco - Notícias - Aumento de preços da carne e materiais de construção assustam consumidores de Maracaju.

Redação - Foto de Capa: Meramente Ilustrativa

É inegável, basta ir ao supermercado mais próximo, açougue e até mesmo lojas de materiais de construção que se constata o aumento dos preços, mesmo com uma inflação oficial relativamente baixa, tal fato não é comprovado nas gôndolas e na famosa “cadernetinha” de compras da dona de casa em Maracaju e todo o estado.

Nos últimos dias notou-se um aumento expressivo e não foi somente no arroz, consagrado como vilão que ganhou a mídia na televisão, rádio e muitos “memes” nas redes sociais, itens como carne bovina e materiais de construção também se tornaram alvo de grandes aumentos, causando preocupação não somente nos consumidores que necessitam do produto, mas nos empresários que fazem e refazem os cálculos, visando “fechar as contas” da empresa e em muitos casos, visando não fechar as portas, mesmo que temporariamente se veem obrigados a eliminar quase a zero seus lucros.


Tijolo e cimento se transformaram em grandes "vilões" da construção civil nos últimos dias - Foto: Ilustrativa - Internet

Em menos de três semanas um consumidor maracajuense que preferiu não se identificar viu o saco de cimento saltar da média de R$ 24,00 (Vinte e quatro reais) para quase R$ 40,00 (Quarenta reais), outra queixa foi quanto ao “desaparecimento” do tijolo que desabasteceu as casas de construção e saltou da média de R$ 550,00 (Quinhentos reais) o milheiro para quase R$ 900,00 (Novecentos reais) em alguns locais.

Fica quase que impossível concluir a obra” lamenta o morador da região da Vila Juquita em Maracaju.


Cimento também teve expressiva alta nos preços aos consumidores maracajuenses - Foto: Divulgação

A justificativa dos empresários do setor é a famosa “Lei da Oferta e da Procura”, diminuiu-se a ofertas de produtos que viram suas fábricas paradas por meses devido a pandemia de COVID-19 e a procura não diminuiu, aliás ao contrário, aumento devido ao aquecimento que o setor de construção civil atravessa.


Empresário do Beef Nobre Alex - "Trabalhamos focados em qualidade e essa alta dos preços nos impossibilita totalmente".

Atuando há mais de 30 anos no ramo de carnes o empresário do ramo de carnes Alex Sandro lamenta a alta de preços, especificamente do novilho precoce que é o tipo de carne escolhida para comercializar em sua casa de carnes pelas características e qualidade da carne.

Vivemos um momento desesperador tanto para nós compradores da novilha gorda, quando para o criador que tem que comprar a reposição, está uma onda que você não sabe o que vai acontecer amanhã. O preço da arroba está absurdo, mas para o pecuarista comprar também está um absurdo, compra na data pagando um valor caro e não sabe como estará o preço em dois anos, quando for vender. Nós que vendemos a carne e focamos na qualidade da mesma, bem como investimentos na higiene da casa de carnes, entre outros custos, infelizmente não temos mais conta que fecha.” Lamentou Alex.

O empresário também reconheceu que o desafio de manter os preços e a qualidade é diário, bem como o dinheiro do cliente está escasso, já que a moeda está desvalorizada. Alex ainda explica que acredita que essa alta de preços e escassez do produto está ligado diretamente a exportação, vendeu-se muito para fora, diante da valorização do dólar e deixou de vender para dentro do país, mediante a desvalorização da moeda nacional.

Vivemos uma situação de não saber o amanhã, isso é ruim para nós e para os consumidores. É nós sem os consumidores fechamos as portas, infelizmente o preço da carne está alto e não é culpa da classe empresarial, há um ano atrás o lucro era muito maior que a atualidade, atualmente notamos que não temos lucro, nossas contas não fecham.” Explicou Alex.

O empresário deixou a mensagem para os consumidores não apenas de sua casa de carnes, mas de todo o comércio em geral, os aumentos ocorridos não tem sido programados pela classe local. “Não é verdade que estamos aumentando para ganharmos mais, acredito que estamos todos no mesmo ‘barco’, peço paciência e tenhamos fé em Deus que esses preços vão reduzir e, conforme vão baixar, reduziremos também.” Finalizou.

Por fim, Alex salientou que desde o início da pandemia as vendas já caíram estimadamente 40%, tudo devido com o término de festas, eventos e as famosas “churrascadas” de finais de semana.

FARMÁCIA DE PLANTÃO: Confira aqui no "Maracaju em Foco" o calendário das Farmácias de Plantão, vá direto ao link a selecione o mês desejado, clique aqui.

VÍDEOS EM FOCO: Assista nossas principais reportagens em vídeo, mesmo não estando no Facebook, clique aqui.

Reportagem: Ben Hur Salomão Teixeira

Maracaju em Foco

A notícia em primeiro lugar!

Curta nossa página: https://www.facebook.com/mjuemfoco/

Siga-nos no Instagram: https://instagram.com/maracajuemfoco


Array ( [Novidade] => Array ( [id] => 41803 [user_id] => 23 [titulo] => Aumento de preços da carne e materiais de construção assustam consumidores de Maracaju. [texto] =>

Redação - Foto de Capa: Meramente Ilustrativa

É inegável, basta ir ao supermercado mais próximo, açougue e até mesmo lojas de materiais de construção que se constata o aumento dos preços, mesmo com uma inflação oficial relativamente baixa, tal fato não é comprovado nas gôndolas e na famosa “cadernetinha” de compras da dona de casa em Maracaju e todo o estado.

Nos últimos dias notou-se um aumento expressivo e não foi somente no arroz, consagrado como vilão que ganhou a mídia na televisão, rádio e muitos “memes” nas redes sociais, itens como carne bovina e materiais de construção também se tornaram alvo de grandes aumentos, causando preocupação não somente nos consumidores que necessitam do produto, mas nos empresários que fazem e refazem os cálculos, visando “fechar as contas” da empresa e em muitos casos, visando não fechar as portas, mesmo que temporariamente se veem obrigados a eliminar quase a zero seus lucros.


Tijolo e cimento se transformaram em grandes "vilões" da construção civil nos últimos dias - Foto: Ilustrativa - Internet

Em menos de três semanas um consumidor maracajuense que preferiu não se identificar viu o saco de cimento saltar da média de R$ 24,00 (Vinte e quatro reais) para quase R$ 40,00 (Quarenta reais), outra queixa foi quanto ao “desaparecimento” do tijolo que desabasteceu as casas de construção e saltou da média de R$ 550,00 (Quinhentos reais) o milheiro para quase R$ 900,00 (Novecentos reais) em alguns locais.

Fica quase que impossível concluir a obra” lamenta o morador da região da Vila Juquita em Maracaju.


Cimento também teve expressiva alta nos preços aos consumidores maracajuenses - Foto: Divulgação

A justificativa dos empresários do setor é a famosa “Lei da Oferta e da Procura”, diminuiu-se a ofertas de produtos que viram suas fábricas paradas por meses devido a pandemia de COVID-19 e a procura não diminuiu, aliás ao contrário, aumento devido ao aquecimento que o setor de construção civil atravessa.


Empresário do Beef Nobre Alex - "Trabalhamos focados em qualidade e essa alta dos preços nos impossibilita totalmente".

Atuando há mais de 30 anos no ramo de carnes o empresário do ramo de carnes Alex Sandro lamenta a alta de preços, especificamente do novilho precoce que é o tipo de carne escolhida para comercializar em sua casa de carnes pelas características e qualidade da carne.

Vivemos um momento desesperador tanto para nós compradores da novilha gorda, quando para o criador que tem que comprar a reposição, está uma onda que você não sabe o que vai acontecer amanhã. O preço da arroba está absurdo, mas para o pecuarista comprar também está um absurdo, compra na data pagando um valor caro e não sabe como estará o preço em dois anos, quando for vender. Nós que vendemos a carne e focamos na qualidade da mesma, bem como investimentos na higiene da casa de carnes, entre outros custos, infelizmente não temos mais conta que fecha.” Lamentou Alex.

O empresário também reconheceu que o desafio de manter os preços e a qualidade é diário, bem como o dinheiro do cliente está escasso, já que a moeda está desvalorizada. Alex ainda explica que acredita que essa alta de preços e escassez do produto está ligado diretamente a exportação, vendeu-se muito para fora, diante da valorização do dólar e deixou de vender para dentro do país, mediante a desvalorização da moeda nacional.

Vivemos uma situação de não saber o amanhã, isso é ruim para nós e para os consumidores. É nós sem os consumidores fechamos as portas, infelizmente o preço da carne está alto e não é culpa da classe empresarial, há um ano atrás o lucro era muito maior que a atualidade, atualmente notamos que não temos lucro, nossas contas não fecham.” Explicou Alex.

O empresário deixou a mensagem para os consumidores não apenas de sua casa de carnes, mas de todo o comércio em geral, os aumentos ocorridos não tem sido programados pela classe local. “Não é verdade que estamos aumentando para ganharmos mais, acredito que estamos todos no mesmo ‘barco’, peço paciência e tenhamos fé em Deus que esses preços vão reduzir e, conforme vão baixar, reduziremos também.” Finalizou.

Por fim, Alex salientou que desde o início da pandemia as vendas já caíram estimadamente 40%, tudo devido com o término de festas, eventos e as famosas “churrascadas” de finais de semana.

FARMÁCIA DE PLANTÃO: Confira aqui no "Maracaju em Foco" o calendário das Farmácias de Plantão, vá direto ao link a selecione o mês desejado, clique aqui.

VÍDEOS EM FOCO: Assista nossas principais reportagens em vídeo, mesmo não estando no Facebook, clique aqui.

Reportagem: Ben Hur Salomão Teixeira

Maracaju em Foco

A notícia em primeiro lugar!

Curta nossa página: https://www.facebook.com/mjuemfoco/

Siga-nos no Instagram: https://instagram.com/maracajuemfoco

[imagem] => 686298864ddd61b52d497233c3211346.jpg [url] => aumento-de-precos-da-carne-e-materiais-de-construcao-assustam-consumidores-de-maracaju [visualizacoes] => 600 [created] => 25 de September de 2020 - 09:10 [destaque] => [scroll] => 1 [categoria_id] => 25 ) [User] => Array ( [id] => 23 [fullname] => Ben Hur Salomão Teixeira [active] => 1 [role] => adm ) [Categoria] => Array ( [id] => 25 [nome] => Economia [url] => economia [prioridade] => 4 ) [Noticiagaleria] => Array ( ) [Video] => Array ( ) ) 1
Maracaju em Foco - Notícias - Anúncio Maracaju em Foco - Notícias - Anúncio Maracaju em Foco - Notícias - Anúncio