Maracaju em Foco - Notícias - Anúncio
Maracaju em Foco - Notícias - Anúncio

Com procura crescente entre mulheres, Prática Esportiva de Tiro melhora autoestima e controle emocional de praticantes de Maracaju.

22 de August de 2021 - 09:34 | Entrevista em Foco

Maracaju em Foco - Notícias - Com procura crescente entre mulheres, Prática Esportiva de Tiro melhora autoestima e controle emocional de praticantes de Maracaju.

Instrutora Marlene Zanon reforça empoderamento, conhecimento e técnica de praticantes, sendo uma referência feminina na prática e instrução no município e no estado.

Redação

Com a procura cada vez mais crescente, especialmente entre as mulheres, Maracaju conta com uma mulher capacitada para inserir aquelas pessoas que queiram participar e aprender a prática esportiva de tiro.

No mês que se busca conscientizar pelo fim da violência doméstica o “Agosto Lilás” a prática esportiva em nada busca gerar mais violência e sim conceder um esporte saudável que melhora a autoestima, gerando determinação de objetivos nas mais diferentes esferas da vida pessoal e profissional, bem como preparar as pessoas para a diminuição de violências desnecessárias que possa ser praticada não apenas pelos homens, mas por ambos os sexos.

O “Maracaju em Foco” buscou conhecer mais sobre este tema, considerado ainda “tabu” por muitos, mas uma prática esportiva prazerosa, saudável e especial por todos que já o praticam.


Para se tornar referência na área, inúmeros foram os treinamentos feitos por Marlene Zanon - Foto: Arquivo Pessoal

Conversamos com Marlene Zanon dos Santos, 38 anos, Servidora Pública Municipal e Instrutora de Tiro, mulher empoderada buscou especializar-se em um ambiente, ainda predominantemente masculino, sendo que a mesma contou sobre as etapas e requisitos necessários para o início das atividades de tiro.

Maracaju em Foco: Como funciona a prática esportiva e qual o motivo de você ter escolhido ela para você.

Marlene Zanon: A prática esportiva de tiro pode ser dividida em duas categorias, ou seja, o atirador com prática regular ou atirador eventual.  Nesta última categoria não há maiores requisitos a serem observados, bastando que a pessoa deseje saber utilizar uma arma de fogo, seja uma pistola, revólver ou carabina e aí se inclui a de maior potencial de impacto como a calibre 12.  Neste caso, a pessoa procura uma pessoa habilitada, especialmente, com certificação exigida pela Polícia Federal, para receber os ensinamentos que vão, desde os princípios básicos de segurança, utilização do armamento até às técnicas de tiro em alvo fixo.

A outra categoria dos praticantes regulares é composta de pessoas que adquiriram armas de fogo, notadamente armas registradas no Sistema do Exército.  


Prática gera empoderamento, rapidez de raciocínio e beneficia as mulheres de Maracaju - Foto: Arquivo Pessoal

A Instrutora Marlene Zanon ainda ressalta que para se tornar um atirador esportivo é necessário o cumprimento de diversas etapas e requisitos que são indispensáveis, tais como: Primeiramente, não possui qualquer anotação na ficha criminal, ou seja, não ter respondido ou estar respondendo processo criminal em todas as esferas da justiça, como Justiça Eleitoral, Justiça Estadual, Justiça Federal e Justiça Militar.

Posteriormente, há a etapa de avaliação com Psicólogo credenciado pela Polícia Federal, justamente para saber se está apto ao manuseio de arma de fogo e a terceira etapa é submeter-se junto a um Instrutor de Tiro credenciado pela Polícia Federal a uma avaliação escrita sobre armas e prática de tiro, quarta etapa engloba a filiação em um Clube de Tiro regularmente constituído e, por fim, adquirir uma ou mais armas de fogo com a devida autorização do Exército Brasileiro.


Diversos requisitos são necessários para ingressar na prática esportiva de tiro - Foto: Arquivo Pessoal

“Estando cumprido estes requisitos, poderá adquirir as munições e dirigir-se aos Clubes de Tiros existentes no território nacional para a prática de tiro desportivo.” Afirmou Marlene Zanon.

Maracaju em Foco: Qual o motivo pela escolha dessa modalidade esportiva?

Marlene Zanon: O motivo principal para a escolha desta prática, resume-se ao fato de que vejo grande parcela da ala feminina estar sempre submetida aos desejos e impérios dos homens em geral.   Assim, a mulher, considerada de sexo frágil sofreu e sofre violências físicas e psicológicas, quando não muito, tem perdido a vida por motivos banais.   Dessa forma, com as instruções de tiro que ministro, entendo que posso contribuir na preparação das pessoas e diminuição das violências desnecessárias que possam ser possam ser praticadas por ambos os sexos.


Foto: Arquivo Pessoal

Maracaju em Foco: O que mudou e melhorou na sua vida após a prática desse esporte.

Marlene Zanon: Pode-se dizer que houve mudança e melhora na autoestima, determinação de objetivos, controle emocional e sensação de segurança pessoal, pois, para o atingimento dessas qualidades foi necessário a participação de vários cursos relacionados a salvamento (APH) e a prática constante de manuseio e utilização de arma de fogo, primando sempre pela segurança, ou seja, procurando eliminar todas as formas de se ocorrer um acidente.

Com isso, sinto satisfação em fazer parte de uma classe de mulheres que podem ajudar outras pessoas a atingirem seus objetivos, direta ou indiretamente pela prática de tiro.


Foto: Arquivo Pessoal

Indagada se precisou utilizar os conhecimentos obtidos com o esporte em um caso real, Marlene foi enfática ao dizer que felizmente não ocorreu até o momento, mas houve uma questão de risco de morte que se envolveu e que seus conhecimentos foram determinantes para a tomada de atitudes em buscar adquirir seus conhecimentos específicos e treinar, tanto na área de primeiros socorros como na área de manuseio e tiro por armas de fogo.


Marlene Zanon, Instrutora e praticante de tiro - Foto: Arquivo Pessoal

Maracaju em Foco: Como surgiu a ideia de se tornar Instrutora de Tiro?

Marlene Zanon: A sociedade em geral, tem suas preferências e desejos, aceitáveis ou não.   No mundo contemporâneo, embora vivamos no Século XXI, as mulheres não são bem aceitas em algumas atividades tidas essencialmente como de homens.   As mulheres tem características próprias que só podem ser observadas por outras mulheres, como entender o nível de stress, compartilhar segredos, limites de aceitação e compreensão entre outras características.   Dessa forma, gostando da atividade escolhida com o objetivo de repassar os conhecimentos às pessoas que desejam iniciar na prática desportiva ou visando a segurança pessoal é que se escolheu a atividade em questão. 


Foto: Arquivo Pessoal

Maracaju em Foco: Em Maracaju, como ocorrem as aulas, instrução e quantas pessoas já praticam?

Marlene Zanon: Em Maracaju, na parte em que atuo, as aulas são compiladas em um curso intensivo para iniciantes na atividade de prática de tiro. Geralmente o curso é ministrado em uma quantidade de horas que pode ser de no mínimo 04 (quatro) horas e acrescido de tempo que for necessário à compreensão das questões que envolvem a segurança pessoal do aluno, instrutor e demais pessoas presentes, bem como o manuseio e utilização da arma de fogo. O curso é realizado de forma individual, neste momento, pois, muitas vezes o aluno nunca teve contato com arma de fogo e assim, precisa de atenção especial em tudo aquilo que for dito ou praticado. 


Foto: Arquivo Pessoal

Maracaju em Foco: Em Maracaju, como ocorrem as aulas, instrução e quantas pessoas já praticam?

Marlene Zanon: Sim, tudo aquilo que foge à normalidade causa estranheza e coloca as pessoas em situação de cautela. Esse sentimento e atitude é comum naquilo em que não compreendemos ou não aceitamos, podendo assim definirmos como preconceito. Embora esse seja um sentimento predominante, a evolução constante a qual todos nós nos submetemos tem contribuído sobremaneira na aceitação das mulheres nos clubes de tiro e na prática desportiva como um todo.

Maracaju em Foco: Em Maracaju, como ocorrem as aulas, instrução e quantas pessoas já praticam?

Marlene Zanon: O trabalho é realizado predominantemente com as mulheres, mas não existe qualquer tipo de restrição para a realização de cursos para os homens.   Não existe diferencial de tratamento por sexo, o importante é o aluno entender, compreender e assimilar os conhecimentos que lhe são repassados.   No universo de pessoas que desejam conhecimento e prática nesta área, todos serão bem vindos.

O local dos cursos tem sido no Clube de Tiro de Maracaju, em área rural, que possui excelente estrutura para a prática de várias modalidades de tiro e esse local tem sido cedido gentilmente pela Diretoria e Presidência do Clube.


Mesmo predominante entre os homens, prática de tiro cada vez mais tem sido procurada por mulheres - Foto: Arquivo Pessoal

Marlene ainda ressalta que a realização de qualquer tipo de atividade esportiva contribui direta ou indiretamente na melhoria da questão motora, na questão de destreza, ordem psicológica, habilidades pessoais e, em muitas vezes, na ajuda da formação do caráter. Bem como essa evolução ou melhoria pode ser facilmente percebida nas idades mais tenras em razão da facilidade de aceitação de novas práticas e novos desafios.

Marlene ainda reforça que havendo o interesse em realizar qualquer prática desportiva, deve-se escolher qual atividade se adequa às suas características e assim, realiza-las pois, atividades esportivas sempre lhe trarão benefícios, dependendo unicamente do praticante.

O que dizem as praticantes e familiares da Instrutora Marlene

As mulheres que inseriram em suas vidas a prática esportiva de tiro e em diversos casos, tiveram a chance real de ter o primeiro contato com armas, deixaram depoimentos do reflexo em suas vidas pessoais e profissionais dessa escolha.


Advogada Dra. Vanesca Silveira - Foto: Arquivo Pessoal

Confesso que nunca me imaginei "armada". Aliás, minha relação com as armas de fogo sempre foi de medo e insegurança. Mas, eu sabia que (até por conta da profissão) um dia precisaria usá-las. Decidi dar o primeiro passo e, graças a Deus, encontrei a Marlene Zanon, quem eu já admirava como pessoa e mulher pra ser minha Instrutora.” Dra. Vaneska Silveira, Advogada.

Vaneska ainda ressaltou que de um início de tensão, tornou-se uma obrigação, inclusive foi encorajada, tornando-se um esporte e hobby, algo que a fez apaixonar-se pela prática esportiva.


Job Domingues em ação ao lado de Marlene Zanon, Instrutora de Tiro - Foto: Arquivo Pessoal

Acredito que a Marlene é uma inspiração, mulher guerreira e que corre atrás dos seus sonhos, não ficando muito no que as pessoas vão dizer, mais do que isso, inspira outras pessoas a correrem atrás de seus sonhos e que todas tem a capacidade para alcançá-los.” Job Domingues, Colaborador da COAMO e Genro.


Echeley Zanon, Estudante Universitária e filha da Instrutora Marlene Zanon - Foto: Arquivo Pessoal

“Ao ver minha mãe em um stand de tiro em treinamento e motivando outras mulheres me fez sentir muito orgulho da pessoa que ela se tornou e da mulher que vem se tornando a cada dia, conquistando um espaço dela neste meio que ainda é bem masculino, mas podendo ver ela inserir mais mulheres neste meio me faz sentir muito orgulho!” Echeley Zanon, Estudante Universitária e Filha.

Sua filha ainda ressalta que o trabalho de sua mãe a fez ver que as mulheres podem fazer tudo que elas quiserem e cada vez mais é possível conquistar espaço, mudando o olhar que alguns homens e as próprias mulheres tem sobre o papel da mulher na sociedade.


Foto: Arquivo Pessoal

Para quem quiser obter mais informações sobre a prática, basta entrar em contato com a Marlene Zanon pelo (67) 9.9664-0371.

As palavras ou textos contidos nesta reportagem são frutos de observações consistentes vividas pela instrutora, em razão de aquisição de conhecimentos por ter participado de incontáveis horas de treinamento na área de segurança particular, segurança armada, transporte de valores, curso de APH - Atendimento Pré-Hospitalar em Combate (Protocolo Marc1), curso de Instrutora em escola credenciada pela Polícia Federal, como também fazer parte de associados do Clube de Tiro de Maracaju, na condição de CAC - Caçador, Atirador e Colecionador.

FARMÁCIA DE PLANTÃO: Confira aqui no "Maracaju em Foco" o calendário das Farmácias de Plantão, vá direto ao link a selecione o mês desejado, clique aqui.

VÍDEOS EM FOCO: Assista nossas principais reportagens em vídeo, mesmo não estando no Facebook, clique aqui.

Maracaju em Foco

A notícia em primeiro lugar!

Curta nossa página: https://www.facebook.com/mjuemfoco/

Siga-nos no Instagram: https://instagram.com/maracajuemfoco


Array ( [Novidade] => Array ( [id] => 49126 [user_id] => 23 [titulo] => Com procura crescente entre mulheres, Prática Esportiva de Tiro melhora autoestima e controle emocional de praticantes de Maracaju. [texto] =>

Instrutora Marlene Zanon reforça empoderamento, conhecimento e técnica de praticantes, sendo uma referência feminina na prática e instrução no município e no estado.

Redação

Com a procura cada vez mais crescente, especialmente entre as mulheres, Maracaju conta com uma mulher capacitada para inserir aquelas pessoas que queiram participar e aprender a prática esportiva de tiro.

No mês que se busca conscientizar pelo fim da violência doméstica o “Agosto Lilás” a prática esportiva em nada busca gerar mais violência e sim conceder um esporte saudável que melhora a autoestima, gerando determinação de objetivos nas mais diferentes esferas da vida pessoal e profissional, bem como preparar as pessoas para a diminuição de violências desnecessárias que possa ser praticada não apenas pelos homens, mas por ambos os sexos.

O “Maracaju em Foco” buscou conhecer mais sobre este tema, considerado ainda “tabu” por muitos, mas uma prática esportiva prazerosa, saudável e especial por todos que já o praticam.


Para se tornar referência na área, inúmeros foram os treinamentos feitos por Marlene Zanon - Foto: Arquivo Pessoal

Conversamos com Marlene Zanon dos Santos, 38 anos, Servidora Pública Municipal e Instrutora de Tiro, mulher empoderada buscou especializar-se em um ambiente, ainda predominantemente masculino, sendo que a mesma contou sobre as etapas e requisitos necessários para o início das atividades de tiro.

Maracaju em Foco: Como funciona a prática esportiva e qual o motivo de você ter escolhido ela para você.

Marlene Zanon: A prática esportiva de tiro pode ser dividida em duas categorias, ou seja, o atirador com prática regular ou atirador eventual.  Nesta última categoria não há maiores requisitos a serem observados, bastando que a pessoa deseje saber utilizar uma arma de fogo, seja uma pistola, revólver ou carabina e aí se inclui a de maior potencial de impacto como a calibre 12.  Neste caso, a pessoa procura uma pessoa habilitada, especialmente, com certificação exigida pela Polícia Federal, para receber os ensinamentos que vão, desde os princípios básicos de segurança, utilização do armamento até às técnicas de tiro em alvo fixo.

A outra categoria dos praticantes regulares é composta de pessoas que adquiriram armas de fogo, notadamente armas registradas no Sistema do Exército.  


Prática gera empoderamento, rapidez de raciocínio e beneficia as mulheres de Maracaju - Foto: Arquivo Pessoal

A Instrutora Marlene Zanon ainda ressalta que para se tornar um atirador esportivo é necessário o cumprimento de diversas etapas e requisitos que são indispensáveis, tais como: Primeiramente, não possui qualquer anotação na ficha criminal, ou seja, não ter respondido ou estar respondendo processo criminal em todas as esferas da justiça, como Justiça Eleitoral, Justiça Estadual, Justiça Federal e Justiça Militar.

Posteriormente, há a etapa de avaliação com Psicólogo credenciado pela Polícia Federal, justamente para saber se está apto ao manuseio de arma de fogo e a terceira etapa é submeter-se junto a um Instrutor de Tiro credenciado pela Polícia Federal a uma avaliação escrita sobre armas e prática de tiro, quarta etapa engloba a filiação em um Clube de Tiro regularmente constituído e, por fim, adquirir uma ou mais armas de fogo com a devida autorização do Exército Brasileiro.


Diversos requisitos são necessários para ingressar na prática esportiva de tiro - Foto: Arquivo Pessoal

“Estando cumprido estes requisitos, poderá adquirir as munições e dirigir-se aos Clubes de Tiros existentes no território nacional para a prática de tiro desportivo.” Afirmou Marlene Zanon.

Maracaju em Foco: Qual o motivo pela escolha dessa modalidade esportiva?

Marlene Zanon: O motivo principal para a escolha desta prática, resume-se ao fato de que vejo grande parcela da ala feminina estar sempre submetida aos desejos e impérios dos homens em geral.   Assim, a mulher, considerada de sexo frágil sofreu e sofre violências físicas e psicológicas, quando não muito, tem perdido a vida por motivos banais.   Dessa forma, com as instruções de tiro que ministro, entendo que posso contribuir na preparação das pessoas e diminuição das violências desnecessárias que possam ser possam ser praticadas por ambos os sexos.


Foto: Arquivo Pessoal

Maracaju em Foco: O que mudou e melhorou na sua vida após a prática desse esporte.

Marlene Zanon: Pode-se dizer que houve mudança e melhora na autoestima, determinação de objetivos, controle emocional e sensação de segurança pessoal, pois, para o atingimento dessas qualidades foi necessário a participação de vários cursos relacionados a salvamento (APH) e a prática constante de manuseio e utilização de arma de fogo, primando sempre pela segurança, ou seja, procurando eliminar todas as formas de se ocorrer um acidente.

Com isso, sinto satisfação em fazer parte de uma classe de mulheres que podem ajudar outras pessoas a atingirem seus objetivos, direta ou indiretamente pela prática de tiro.


Foto: Arquivo Pessoal

Indagada se precisou utilizar os conhecimentos obtidos com o esporte em um caso real, Marlene foi enfática ao dizer que felizmente não ocorreu até o momento, mas houve uma questão de risco de morte que se envolveu e que seus conhecimentos foram determinantes para a tomada de atitudes em buscar adquirir seus conhecimentos específicos e treinar, tanto na área de primeiros socorros como na área de manuseio e tiro por armas de fogo.


Marlene Zanon, Instrutora e praticante de tiro - Foto: Arquivo Pessoal

Maracaju em Foco: Como surgiu a ideia de se tornar Instrutora de Tiro?

Marlene Zanon: A sociedade em geral, tem suas preferências e desejos, aceitáveis ou não.   No mundo contemporâneo, embora vivamos no Século XXI, as mulheres não são bem aceitas em algumas atividades tidas essencialmente como de homens.   As mulheres tem características próprias que só podem ser observadas por outras mulheres, como entender o nível de stress, compartilhar segredos, limites de aceitação e compreensão entre outras características.   Dessa forma, gostando da atividade escolhida com o objetivo de repassar os conhecimentos às pessoas que desejam iniciar na prática desportiva ou visando a segurança pessoal é que se escolheu a atividade em questão. 


Foto: Arquivo Pessoal

Maracaju em Foco: Em Maracaju, como ocorrem as aulas, instrução e quantas pessoas já praticam?

Marlene Zanon: Em Maracaju, na parte em que atuo, as aulas são compiladas em um curso intensivo para iniciantes na atividade de prática de tiro. Geralmente o curso é ministrado em uma quantidade de horas que pode ser de no mínimo 04 (quatro) horas e acrescido de tempo que for necessário à compreensão das questões que envolvem a segurança pessoal do aluno, instrutor e demais pessoas presentes, bem como o manuseio e utilização da arma de fogo. O curso é realizado de forma individual, neste momento, pois, muitas vezes o aluno nunca teve contato com arma de fogo e assim, precisa de atenção especial em tudo aquilo que for dito ou praticado. 


Foto: Arquivo Pessoal

Maracaju em Foco: Em Maracaju, como ocorrem as aulas, instrução e quantas pessoas já praticam?

Marlene Zanon: Sim, tudo aquilo que foge à normalidade causa estranheza e coloca as pessoas em situação de cautela. Esse sentimento e atitude é comum naquilo em que não compreendemos ou não aceitamos, podendo assim definirmos como preconceito. Embora esse seja um sentimento predominante, a evolução constante a qual todos nós nos submetemos tem contribuído sobremaneira na aceitação das mulheres nos clubes de tiro e na prática desportiva como um todo.

Maracaju em Foco: Em Maracaju, como ocorrem as aulas, instrução e quantas pessoas já praticam?

Marlene Zanon: O trabalho é realizado predominantemente com as mulheres, mas não existe qualquer tipo de restrição para a realização de cursos para os homens.   Não existe diferencial de tratamento por sexo, o importante é o aluno entender, compreender e assimilar os conhecimentos que lhe são repassados.   No universo de pessoas que desejam conhecimento e prática nesta área, todos serão bem vindos.

O local dos cursos tem sido no Clube de Tiro de Maracaju, em área rural, que possui excelente estrutura para a prática de várias modalidades de tiro e esse local tem sido cedido gentilmente pela Diretoria e Presidência do Clube.


Mesmo predominante entre os homens, prática de tiro cada vez mais tem sido procurada por mulheres - Foto: Arquivo Pessoal

Marlene ainda ressalta que a realização de qualquer tipo de atividade esportiva contribui direta ou indiretamente na melhoria da questão motora, na questão de destreza, ordem psicológica, habilidades pessoais e, em muitas vezes, na ajuda da formação do caráter. Bem como essa evolução ou melhoria pode ser facilmente percebida nas idades mais tenras em razão da facilidade de aceitação de novas práticas e novos desafios.

Marlene ainda reforça que havendo o interesse em realizar qualquer prática desportiva, deve-se escolher qual atividade se adequa às suas características e assim, realiza-las pois, atividades esportivas sempre lhe trarão benefícios, dependendo unicamente do praticante.

O que dizem as praticantes e familiares da Instrutora Marlene

As mulheres que inseriram em suas vidas a prática esportiva de tiro e em diversos casos, tiveram a chance real de ter o primeiro contato com armas, deixaram depoimentos do reflexo em suas vidas pessoais e profissionais dessa escolha.


Advogada Dra. Vanesca Silveira - Foto: Arquivo Pessoal

Confesso que nunca me imaginei "armada". Aliás, minha relação com as armas de fogo sempre foi de medo e insegurança. Mas, eu sabia que (até por conta da profissão) um dia precisaria usá-las. Decidi dar o primeiro passo e, graças a Deus, encontrei a Marlene Zanon, quem eu já admirava como pessoa e mulher pra ser minha Instrutora.” Dra. Vaneska Silveira, Advogada.

Vaneska ainda ressaltou que de um início de tensão, tornou-se uma obrigação, inclusive foi encorajada, tornando-se um esporte e hobby, algo que a fez apaixonar-se pela prática esportiva.


Job Domingues em ação ao lado de Marlene Zanon, Instrutora de Tiro - Foto: Arquivo Pessoal

Acredito que a Marlene é uma inspiração, mulher guerreira e que corre atrás dos seus sonhos, não ficando muito no que as pessoas vão dizer, mais do que isso, inspira outras pessoas a correrem atrás de seus sonhos e que todas tem a capacidade para alcançá-los.” Job Domingues, Colaborador da COAMO e Genro.


Echeley Zanon, Estudante Universitária e filha da Instrutora Marlene Zanon - Foto: Arquivo Pessoal

“Ao ver minha mãe em um stand de tiro em treinamento e motivando outras mulheres me fez sentir muito orgulho da pessoa que ela se tornou e da mulher que vem se tornando a cada dia, conquistando um espaço dela neste meio que ainda é bem masculino, mas podendo ver ela inserir mais mulheres neste meio me faz sentir muito orgulho!” Echeley Zanon, Estudante Universitária e Filha.

Sua filha ainda ressalta que o trabalho de sua mãe a fez ver que as mulheres podem fazer tudo que elas quiserem e cada vez mais é possível conquistar espaço, mudando o olhar que alguns homens e as próprias mulheres tem sobre o papel da mulher na sociedade.


Foto: Arquivo Pessoal

Para quem quiser obter mais informações sobre a prática, basta entrar em contato com a Marlene Zanon pelo (67) 9.9664-0371.

As palavras ou textos contidos nesta reportagem são frutos de observações consistentes vividas pela instrutora, em razão de aquisição de conhecimentos por ter participado de incontáveis horas de treinamento na área de segurança particular, segurança armada, transporte de valores, curso de APH - Atendimento Pré-Hospitalar em Combate (Protocolo Marc1), curso de Instrutora em escola credenciada pela Polícia Federal, como também fazer parte de associados do Clube de Tiro de Maracaju, na condição de CAC - Caçador, Atirador e Colecionador.

FARMÁCIA DE PLANTÃO: Confira aqui no "Maracaju em Foco" o calendário das Farmácias de Plantão, vá direto ao link a selecione o mês desejado, clique aqui.

VÍDEOS EM FOCO: Assista nossas principais reportagens em vídeo, mesmo não estando no Facebook, clique aqui.

Maracaju em Foco

A notícia em primeiro lugar!

Curta nossa página: https://www.facebook.com/mjuemfoco/

Siga-nos no Instagram: https://instagram.com/maracajuemfoco

[imagem] => 0876d837e35ac11b59a969b030727a32.jpg [url] => com-procura-crescente-entre-mulheres-pratica-esportiva-de-tiro-melhora-autoestima-e-controle-emocional-de-praticantes-de-maracaju [visualizacoes] => 1600 [created] => 22 de August de 2021 - 09:34 [destaque] => 1 [scroll] => 1 [categoria_id] => 15 ) [User] => Array ( [id] => 23 [fullname] => Ben Hur Salomão Teixeira [active] => 1 [role] => adm ) [Categoria] => Array ( [id] => 15 [nome] => Entrevista em Foco [url] => entrevista-em-foco [prioridade] => 11 ) [Noticiagaleria] => Array ( ) [Video] => Array ( ) ) 1
Maracaju em Foco - Notícias - Anúncio Maracaju em Foco - Notícias - Anúncio Maracaju em Foco - Notícias - Anúncio